Da Geral

Lembranças e depoimentos feitos por um apaixonado direto da Geral! Comentários sobre futebol e derivados.

sábado, setembro 12, 2009

Bons tempos

A pedidos de amigos e em homenagem ao Zéqui, aqui vai uma lembrança da minha infância.

Freqüento estádios desde criança, e sou do tempo em que a torcida cantava “zum, zum, zum, passou um avião, e nele estava escrito que o Grêmio é campeão”.
Época boa, em que eu ia ao monumental brincar, correr e catar palito de picolé. Eu e o Mano, filho do tio Hermes, competíamos para ver quem juntava mais palitinho. Quase sempre eu ganhava.
Juntávamos um monte de jornal e ficávamos meia hora picando papel, para jogarmos tudo pro alto em poucos segundos, na comemoração do gol. Jogo que é bom, eu nem via, mas me divertia a beça com as músicas e palavrões que ouvia.
Naquela época era coisa rara ver mulher em estádio, e qualquer baranga que aparecesse era homenageada com sinceros elogios da galera. Cada declaração de amor cabeluda que eu nem entendia. Confesso que algumas eu ainda não entendo.
Época de Renato, Tarciso e Baltazar. De Caio Jr., Lima, Valdo e Jorge Veras. De Assis, Kita e Paulo Egídio. Ainda lembro de cabeça a escalação do time campeão de América em 83, do time campeão do torneio “Palma de Mallorca”, em 85 e do time hexa-campeão gaúcho no final da década de 80.
Gre-nal sempre foi o meu jogo favorito. Meu primeiro Gre-nal foi na beira do lago, no verão de 84. Não sei se valia alguma coisa, mas o Grêmio ganhou de 4x2. Era uma festa. A gente cantava de cá: “de Ipanema a alvorada, fiadaputa é a torcida colorada”, e logo vinha a resposta: “de Porto Alegre a Salvador, fiadaputa é a torcida tricolor”.
Bons tempos aqueles, onde o máximo da agressividade era palavrões e papel picado.

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home